WCF – MessageContracts


Quando desenvolvemos serviços WCF geralmente iniciamos com a criação do contrato, suas respectivas operações e possíveis parâmetros que elas aceitam e/ou retornam. Os tipos que são enviados e recebidos por um serviço podem ser desde um tipo simples, como um DateTime, Integer ou String até mesmo tipos mais complexos, como classes que representam alguma estrutura específica da nossa aplicação.

Esses dados (simples ou complexos) que definimos no contrato serão sempre serializados e enviados como parte do body da mensagem SOAP, ficando sob responsabilidade do WCF, montar a mensagem (headers e body) de acordo com as informações que serão enviadas ao destino (body) e como o binding será configurado (headers). Mas poderemos ter situações em que esse comportamento padrão não nos atenderá, e é neste momento que entra em cena os contratos de mensagem, ou Message Contracts.

Através dos contratos de mensagem, podemos ter o controle total da estrutura da mensagem SOAP, customizando como e onde os dados que fazem parte do contrato serão acomodados dentro da mesma, já que podem fazer parte do header ou do body. Em algumas situações você precisará dessa customização, como por exemplo, quando você necessitar de uma melhor interoperabilidade com um determinado cliente, que possivelmente poderá exigir a mensagem em um formato diferente do qual o WCF cria. Além disso, você poderá ter um objeto não fará somente parte do body, mas também há propriedades dentro dele que deverão ser inseridos como elementos na coleção de headers.

Quando formos trabalhar com contratos de mensagem, além dos contratos que somos obrigados a criar em qualquer tipo de serviço (interface que representa o contrato do serviço e as classes que serão utilizadas como contratos de dados), temos também que criar as classes que representarão o contrato (formato) da mensagem que será enviada/recebida pela operação. Nesse contrato, basicamente temos propriedades que expõem tipos (complexos ou não) e que serão definidas como parte dos headers ou do body da mensagem.

Em primeiro lugar, precisamos definir que a classe será utilizada como contrato de mensagem, e para isso, decoramos ela com o atributo chamado MessageContractAttribute. É importante dizer que as classes que servem como contrato de mensagem devem, obrigatoriamente, ter um construtor sem parâmetros. Em seguida, para determinar se um campo desta classe vai fazer parte dos headers ou body, você deverá utilizar os atributos MessageHeaderAttribute ou MessageBodyMemberAttribute, respectivamente.

Para exemplificar o uso de contratos de mensagem, vamos imaginar a seguinte situação: uma aplicação poderá enviar para o serviço a relação de contas de um determinado cliente que ela quer recuperar os respectivos saldos. O serviço, por sua vez, extrairá de algum repositório o saldo atual de cada uma das contas, e retornará para o solicitante. Neste caso, teremos duas classes: CriterioDeBusca e ResultadoDaBusca.

A primeira delas representará a mensagem que o cliente irá enviar para o serviço. Essa classe disponibiliza três campos: Cliente, Codigo e Contas, utilizadas para a aplicação informar o cliente e as contas que ele deseja extrair o saldo. Já a classe ResultadoDaBusca irá representar o resultado da pesquisa, com os campos Cliente, Codigo e Saldos. A última propriedade desta classe retorna um array, onde cada elemento é representa por um objeto do tipo Saldo, que é composto pela identificação da conta e seu respectivo saldo. Abaixo temos a estrutura de cada uma delas:

[MessageContract]
public class CriterioDeBusca
{
    [MessageHeader] public string Cliente;
    [MessageHeader] public int Codigo;
    [MessageBodyMember] public string[] Contas;
}

[MessageContract(IsWrapped = true, WrapperName = “contas”)]
public class ResultadoDaBusca
{
    [MessageHeader] public string Cliente;
    [MessageHeader] public int Codigo;
    [MessageBodyMember] public Saldo[] Saldos;
}

public class Saldo
{
    public string Conta { get; set; }
    public decimal Valor { get; set; }
}

Como podemos notar, as classes CriterioDeBusca e ResultadoDaBusca estão decoradas com o atributo MessageContractAttribute, que diz ao runtime do WCF que elas devem ser consideradas como a mensagem SOAP em si, e não como simples contratos de dados. Os campos destas classes também possuem os atributos para determinar o que irá compor o header e o body.

Já comentamos a finalidade de cada atributo que foi decorado nos membros acima. Apesar de eles estarem com a configuração padrão (com exceção da classe ResultadoDaBusca), ainda há uma série de propriedades que cada um deles disponibiliza, para que possamos definir algumas outras configurações que serão utilizadas pelo WCF durante o processamento/serialização da mensagem. Antes de prosseguirmos, é necessário entender cada uma dessas propriedades que podemos, opcionalmente, utilizar. As tabelas abaixo sumarizam cada uma delas.

MessageContractAttribute
Propriedade Descrição
HasProtectionLevel Recebe um valor boleano indicando se a mensagem deverá ter um nível de proteção.
IsWrapped Recebe um valor boleano indicando se o corpo da mensagem terá um elemento que servirá como wrapper. Caso True, o WCF utilizará as informações definidas nas propriedades WrapperName e WrapperNamespace para criá-lo.
ProtectionLevel Propriedade que recebe um dos valores definidos pelo enumerador ProtectionLevel, indicando se a mensagem deverá ser encriptada, assinada, ambos ou não precisará de nenhuma espécie de proteção.
WrapperName Define o elemento que servirá como wrapper para o body da mensagem. Quando omitido ou quando a propriedade IsWrapped estiver definida como False, o corpo será colocado imediatamente após o elemento <soap:Body>.
WrapperNamespace Define o namespace para o elemento que servirá como wrapper da mensagem.

MessageHeaderAttribute
Propriedade Descrição
HasProtectionLevel Recebe um valor boleano indicando se a mensagem deverá ter um nível de proteção.
Name Define o nome do elemento que será serializado. Quando omitido utilizará o nome do próprio campo.
Namespace Fornece um namespace para o header em questão e seus possíveis filhos, a menos que eles sobrescrevam isso.
ProtectionLevel Propriedade que recebe um dos valores definidos pelo enumerador ProtectionLevel, indicando se a mensagem deverá ser encriptada, assinada, ambos ou não precisará de nenhuma espécie de proteção.
Actor Define uma URI que determina a quem se destina aquele atributo.
MustUnderstand Valor boleano que indica se o ator a quem se destina aquela informação deverá ou não entendê-la. Caso esteja definido como True, e o ator não entende aquele header, uma fault deverá ser lançada.
Relay Também define um valor boleano, que indica se o header deverá ser encaminhado para o próximo nó, caso ele não seja interpretado pelo ator atual.

MessageBodyMemberAttribute
Propriedade Descrição
HasProtectionLevel Recebe um valor boleano indicando se a mensagem deverá ter um nível de proteção.
Name Define o nome do elemento que será serializado. Quando omitido utilizará o nome do próprio campo.
Namespace Fornece um namespace para o header em questões e seus possíveis filhos, a menos que eles sobrescrevam isso.
Order  Como o próprio nome diz, é uma propriedade que recebe um valor inteiro indicando a ordem de serialização de cada elemento dentro do corpo da mensagem. Quando omitido, os elementos são serializados de forma alfabética, seguido dos campos que tem essa propriedade definida explicitamente.
ProtectionLevel  Propriedade que recebe um dos valores definidos pelo enumerador ProtectionLevel, indicando se a mensagem deverá ser encriptada, assinada, ambos ou não precisará de nenhuma espécie de proteção.


Ainda temos uma especialização da classe MessageHeaderAttribute, que é a MessageHeaderArrayAttribute. Este atributo pode ser somente aplicado a membros do tipo array e que serão acomodados no header da mensagem. Decorando uma propriedade ou campo com este atributo, os elementos do array serão serializados de forma independente, ao invés de estarem envolvidos por um wrapper. Por exemplo, se tivermos um array de saldos, por padrão, ele será serializado da seguinte forma:

<header value=”1″ />
<saldos>
  <conta numero=”123″ valor=”100.00″ />
  <conta numero=”456″ valor=”200.00″ />
</saldos>
<header value=”2″ />

Já quando aplicamos o atributo MessageHeaderArrayAttribute, ele ficará da seguinte forma:

<header value=”1″ />
<conta numero=”123″ valor=”100.00″ />
<conta numero=”456″ valor=”200.00″ />
<header value=”2″ />

Depois disso, o próximo passo é a criação do contrato. Agora, ao invés de trabalharmos diretamente com os tipos mais simples e/ou complexos nos parâmetros e resultado das operações, elas devem começar a trabalhar diretamente com as classes previamente criadas. As classes que criamos para o exemplo são autoexplicativas, onde uma representa a entrada de dados e a outra o resultado, e como ambas estão decoradas como o atributo MessageContractAttribute, elas definirão a estrutura da mensagem SOAP. Abaixo está o contrato já configurado com elas:

[ServiceContract]
public interface IContrato
{
    [OperationContract]
    ResultadoDaBusca RecuperarSaldo(CriterioDeBusca criterio);
}

Observação: Você ainda tem uma segunda alternativa para a definação de contratos de mensagem, que também é conhecida como “inline”. Neste modo, você pode decorar os parâmetros do teu contrato com os atributos MessageHeaderAttribute ou MessageBodyAttribute.

RPC vs. Messaging

Uma das idéias das aplicações orientadas a serviços é que elas devem trocar mensagens, ou seja, ao invocar uma operação, teoricamente, você deveria criar uma mensagem explicitamente e enviá-la para o seu destino, enquanto do outro lado, você deve capturá-la, analisar o seu conteúdo, e executar a tarefa que ela solicita. O contrato que vimos acima segue essa linha, já que devemos lidar com objetos que representam a mensagem. Esse tipo de formato é conhecido como Messaging.

Existe também uma outra possibilidade, conhecida como RPC (Remote Procedure Call). Neste estilo, nós trabalhamos com os serviços como se fossem componentes/classes tradicionais, ou seja, não precisamos lidar com as mensagens diretamente, pois o método irá receber e/ou retornar os tipos corretos e a tecnologia, que neste caso é o WCF, se encarregará de montar e serializar a mensagem que será enviada de um lado a outro.

O WCF não está limitado a apenas um desses estilos de mensagens, mas na maioria das vezes utilizamos o estilo RPC. Mas o tema deste artigo é justamente mostrar como podemos desenvolver serviços que utilizem o padrão Messaging, e como já vimos acima, vamos trabalhar diretamente com as classes que representarão as mensagens.

Implementação

Ambos os lados da comunicação precisarão trabalhar de forma diferente, já que não vamos mais passar ou receber os parâmetros diretamente; agora vamos lidar com uma classe que representará a resposta e uma classe que representará a requisição. Ambas já foram criadas acima, e o contrato foi desenvolvido utilizando essas duas classes.

Apesar de mudar a forma que desenvolvemos, não há muita complexidade, já que basta instanciarmos uma das classes (dependendo do contexto), abastecer as respectivas propriedades e enviá-la para o WCF, que seguirá os atributos definidos para configurar o formato da mensagem que está sendo enviada. Se analisarmos a classe que representará o serviço, veremos o contrato IContrato implementado nela, e com isso podemos analisar e compreender as classes que representam as mensagens:

public class Servico : IContrato
{
    public ResultadoDaBusca RecuperarSaldo(CriterioDeBusca criterio)
    {
        List<Saldo> saldos = new List<Saldo>(criterio.Contas.Length);
        ResultadoDaBusca resultado =
            new ResultadoDaBusca() { Cliente = criterio.Cliente, Codigo = criterio.Codigo };

        foreach (var item in criterio.Contas)
            saldos.Add(new Saldo() { Conta = item, Valor = 1.0M });

        resultado.Saldos = saldos.ToArray();
        return resultado;
    }
}

Em termos de hosting e binding, nada muda. Já do lado do cliente, ao fazer a referência devemos nos atentar a um pequeno detalhe, que é justamente a criação dos contratos de mensagem. Por padrão, quando fazer a referência através da IDE do Visual Studio ou através do utilitário svcutil.exe, ele não irá criar o proxy adequadamente, ou seja, ele sempre irá trabalhar no estilo RPC, o que nos obrigará a passar os parâmetros individualmente para cada operação.

Quando utilizamos a IDE e queremos que ele mantenha o estilo Messaging, então devemos ir até as configurações da referência do serviço, e marcar a opção “Always generate message contracts”, ou se estiver utilizando o svcutil.exe, utilize a opção /mc. Isso irá nos permitir a trabalhar de uma forma semelhante ao que vemos no exemplo abaixo:

using (ContratoClient proxy = new ContratoClient())
{
    CriterioDeBusca cb =
        new CriterioDeBusca(“Israel Aece”, 5, new string[] { “12345-6”, “09876-2” });

    ResultadoDaBusca rb = proxy.RecuperarSaldo(cb);

    foreach (Saldo s in rb.Saldos)
        Console.WriteLine(“{0}: {1:C2}”, s.Conta, s.Valor);
}

Apesar de você mudar a forma que você desenvolve ou consome os serviços no estilo Messaging, não há muitas dificuldades. A grande mudança fica por parte do formato da mensagem que é criada pelo WCF, já que respeitará todos os atributos que decoramos nas classes que representarão as mensagens. Se analisarmos o tracing da mensagem que está sendo trafegada entre o serviço e o cliente, teremos um resultado como este (alguns trechos foram omitidos por questões de espaço):

<s:Envelope>
  <s:Header>
    <Action s:mustUnderstand=”1″>…/IContrato/RecuperarSaldoResponse</Action>
    <h:Cliente>Israel Aece</h:Cliente>
    <h:Codigo>5</h:Codigo>

    <ActivityId>dc2132ac-46c5-495d-a313-e9bb7152fe0a</ActivityId>
  </s:Header>
  <s:Body>
    <contas xmlns=”http://tempuri.org/”&gt;
      <Saldos>
        <d4p1:Saldo>
          <d4p1:Conta>12345-6</d4p1:Conta>
          <d4p1:Valor>1.0</d4p1:Valor>
        </d4p1:Saldo>
        <d4p1:Saldo>
          <d4p1:Conta>09876-2</d4p1:Conta>
          <d4p1:Valor>1.0</d4p1:Valor>
        </d4p1:Saldo>
      </Saldos>
    </contas>
  </s:Body>
</s:Envelope>

Se analisarmos detalhadamente a mensagem gerada, veremos que os campos Cliente e Codigo fazem parte do header da mensagem, enquanto o array Saldos é parte do corpo da mensagem, que está envolvido (wrapped) pelo elemento <contas />.

Conclusão: Vimos no decorrer deste artigo uma nova forma de trabalhar com o WCF, utilizando o contrato de mensagens. É importante dizer que na maioria das vezes, você utilizará o estilo “tradicional”, onde você deverá recorrer ao estilo RPC, que já é o padrão. Em casos mais específicos, como aqueles que comentamos acima, então esse estilo de comunicação poderá dar uma maior flexibilidade, já que permitirá ao cliente ou ao serviço, ler ou gerar uma mensagem em um formato diferente daquele que o WCF cria automaticamente.

MessageContracts.zip (66.48 kb)

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s