Serialização de Datasets


Vira e mexe alguém entra em contato comigo para discutir sobre – os populares – DataSets. Como todos sabem, ele foi construído para ambientes desconectados, que permite criar uma espécie de “banco de dados em memória”, possibilitando ao usuário chegar de manhã na empresa, carregar os dados que ele vai trabalhar durante todo o dia, e depois sair à campo.

Durante o tempo que ele estiver fora, dificilmente terá acesso à rede da empresa, o que obriga a persistir os dados fisicamente, para quando chegar no(s) cliente(s), conseguir restaurar essas informações e manipulá-las como se ele estivesse trabalhando localmente. Dependendo do volume de informações que é carregado neste DataSet, o arquivo final pode ser muito grande, e dependendo do tipo de dispositivo que está utilizando, isso pode ser prejudicial.

Hoje um ex-aluno me enviou um e-mail dizendo que passava por um problema semelhante, onde ele precisava diminuir o tamanho final do arquivo que continha os dados. O problema é que ele estava utilizando a serialização em Xml, que naturalmente é maior do que a serialização binária. Isso se deve-se ao fato de que Xml é o padrão para interoperabilidade, e se fosse trafegá-lo através de Web Services, então obrigatoriamente ele deve ser serializado desta forma.

Do contrário, você pode optar pelo padrão binário. Como neste caso a interoperabilidade não é necessária, já que a finalidade é apenas ter um arquivo menor salvo no disco, podemos adotar esta técnica. Para isso, a partir da versão 2.0 do ADO.NET, a Microsoft disponibilizou uma pequena funcionalidade no DataSet, que modifica-o durante o processo de serialização. Abaixo o exemplo de como podemos proceder:

DataSet ds = new DataSet();
CarregarDados(ds);

ds.RemotingFormat = SerializationFormat.Binary;

using (FileStream fs = File.Create(“Dados.bin”))
    new BinaryFormatter().Serialize(fs, ds);

Com este exemplo, um DataSet que em Xml tem 1MB, caiu para 280KB. Você não é obrigado a utilizar a propriedade RemotingFormat, mas se omití-la, verá que o resultado não será tão expressivo como. Quando você define esta propriedade, ele customizará a serialização, transformando o schema e a instância do DataSet atual em um formato mais otimizado e comprimido. Atente-se aqui, pois se o DataSet for muito pequeno (quantidade de linhas/colunas), o resultado pode ser igual ou até mesmo maior que o Xml.

Mais uma vez, se possível reescreva e tente optar por alguma outra alternativa que não sejam os DataSets. Quando você persite-o, independentemente se for Xml ou binário, ele armazena muito mais informações do que o aquilo que realmente você precisa, pois lembre-se: ele é um “banco de dados em memória”. Para mais informações sobre serialização, consulte o capítulo 06 deste livro.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s